Publicidade para mobile e aplicativos

Publicidade para mobile e aplicativos

Os smartphones tornaram-se os computadores de bordo das nossas vidas. É neles que encontramos os caminhos nos mapas, chamamos por transporte, “matamos tempo”, tiramos fotos, ouvimos música, carregamos tudo o que precisamos, resolvemos nossas necessidades e nos conectamos com os amigos e, por que não, com marcas.

O uso da internet móvel é uma realidade. Mais da metade da população mundial se conecta a internet por meio de mobile, e a expectativa é de que até 2020 cerca de 75% da população se conecte por mobile. Exemplo disso é o fato de que no Brasil, só o Facebook já possui mais de 44MM de usuários conectados via mobile todo mês e este número deve crescer a medida que mais aparelhos chegam ao mercado, cada vez mais barato. Não bastasse isso, as operadoras de telefonia estão cada vez mais agressivas na disputa por oferecer internet móvel popular.

Graças a este fenômeno, assistimos TV com uma segunda tela na mão. Nos EUA, 40% dos donos de smartphones usam alguma rede social ao assistir TV sendo que 95% deles usam o Twitter. As lojas físicas têm se transformados em verdadeiros “show-rooms”, ou seja, as pessoas vão até elas para ver com os olhos e mãos os produtos, mas acabam comprando pela internet. Já existindo, inclusive, lojas que já trabalham apenas neste formato. Neste contexto, conectado e móvel, as marcas podem conquistar um lugar privilegiado junto aos consumidores.

Diferente do computador e do tablet, os smartphones têm uso constante e contínuo durante o dia e noite. Sem contar a parcela da população que só acessa a internet via celular. Estar no celular durante o dia todo, ao lado do consumidor pode ser uma oportunidade única de entregar informações certas, na hora cerca, para o consumidor certo. Segundo dados do Google Trends, o termo “perto de mim” cresceu exponencialmente desde 2015 em pesquisas. Como assim? As pessoas procuram nos seus celulares “pizzarias perto de mim / chaveiro perto de mim / posto de gasolina perto de mim” e por aí vai.

Mas para conquistar isso, as marcas e prestadores de serviços precisam não só superar a infinidade de aplicativos disponíveis hoje (quase 1.5 milhão de aplicativos nas plataformas iOS e Android), como também o tempo dos usuários, que além de curto, precisa ser distribuído entre todos os aplicativos do seu smartphone. Precisam também adotar o “pensar globalmente, agir localmente” como mantra nas suas vidas. “On e Off-line”.

O segredo para ganhar o coração dos usuários e conquistar espaço em seus smartphones? Gerar experiência com a marca. Os usuários de smartphone só utilizam aplicativos que realmente os ajudem no dia a dia. Um ótimo exemplo de experiência são os aplicativos da Nike para smartphone, sendo o mais recente lançamento o Move, que aproveita toda a tecnologia de sensores utilizados a partir do iPhone 5s e consegue medir os movimentos (andar, correr, subir escada) dos consumidores e entregar informações relevantes sobre o quanto a pessoa se movimentou ao longo do dia, comparando estas informações com os amigos, através de uma rede sociais criada e mantida pela própria Nike. Indo mais além, imaginem se esses aplicativos também enviassem notificações quando os usuários precisassem trocar seus tênis? Ou abrisse um espaço para editar playlists de corrida? As possibilidades são infinitas!

Além de fazer parte dos aplicativos utilizados pelo usuários, as marcas podem pensar em mobile quando gerarem conteúdo. A combinação Social + Mobile pode ser a grande formula de sucesso para ingressar na conversação com os consumidores durante seu momento de lazer, seja assistindo TV, seja em um aeroporto, aguardando a próxima conexão. Ao conseguir esta abertura com o consumidor, a marca pode informar e fidelizar em um dos momentos mais íntimos e difíceis de disputar a atenção: o momento do entretenimento.

Com tudo isso, o mobile vêm se colocando como um computador de bordo onde os consumidores ficam cada vez mais conectados em redes sociais e aplicativos, buscando não só informações como inconscientemente realizando conexões emocionais com seus amigos e marcas, resignificando o

“aqui e agora” para a sua presença digital.

Post A Comment